4 fases do aprendizado na programação neurolinguística (PNL)

aprendizagem-fases-neurolinguistica

A programação neurolinguística é uma ótima ferramenta para modelar pessoas de excelência, e é também uma fantástica ferramenta de aprendizado. Podemos descobrir como as pessoas de sucesso pensam e agem, olhando e estudando a maneira que elas geram resultados.

Neste artigo estarei compartilhando com você as quatro fases de aprendizado de acordo com a programação neurolinguística, para que você possa aplicar esse conceito em praticamente qualquer tipo de aprendizado e em qualquer área.

Você entenderá o processo de aprender e como ter mais consciência desse processo em sua próxima experiência de aprendizagem.

Todos nós estamos sempre aprendendo algo, de uma maneira ou de outra. Quando fazemos um curso específico ou quando iniciamos uma nova carreira ou profissão; quando aprendemos um novo idioma ou quando aprendemos uma nova habilidade.

O processo de aprendizagem é constante, porque a mudança no mundo é constante.

Por essa razão, temos que aprender de maneira rápida se quisermos ter alguma vantagem nos dias de hoje, principalmente alcançar nossos objetivos pessoais e profissionais.

Algumas vezes podemos nos sentir frustrados no início do aprendizado, por falta de domínio daquilo que estamos aprendendo. Em momentos assim, tudo o que devemos fazer é lembrar a nós mesmos de que podemos aprender sempre.

Tudo o que fazemos hoje em termos de capacidades e habilidades, nós não sabíamos como executá-los um dia. Porém, ao longo dos anos nós fomos desenvolvendo e aprimorando algumas competências.

Afinal, ninguém nasce sabendo caminhar, não é verdade? Pense nisso. Não é verdade que houve uma fase em nossa vida, em que éramos incapazes de andar, falar, ler e escrever?

Entretanto, hoje podemos dominar com facilidade todas essas funções que antes eram difíceis e complicadas. Hoje fazemos isso de forma automática. É fato que quando entramos na fase adulta, temos a tendência de diminuir o nosso ritmo de aprendizagem.

As crianças ao contrário dos adultos, são como maquininhas de aprender, porque elas vivem em um estado de curiosidade o tempo todo. Elas vivem questionando como as coisas funcionam, e por causa desse comportamento, elas aprendem muito mais do que os adultos.

Agora na fase adulta, precisamos lembrar a nós mesmos que existe um processo. E toda vez que estivermos aprendendo algo, cabe a nós lembrar que existe um processo e que tudo que devemos fazer para alcançar o nosso objetivo é de fato seguir esse processo.

Temos que continuar aprendendo e avançando em cada um dos quatro estágios.

Assista ao vídeo abaixo:

Veja quais são as quatro fases e como elas se aplicam em nossa vida:

1ª fase do aprendizado: incompetência inconsciente

A fase da incompetência inconsciente é a fase onde não sabemos que não sabemos. O que significa isso? Significa que não temos consciência da nossa falta de habilidade para executar certa função ou atividade.

Por exemplo, uma pessoa que está aprendendo a dirigir e nunca teve a experiência em segurar na direção, passar as marchas, olhar no retrovisor, utilizar as setas, acelerador, freio e embreagem do automóvel, com certeza terá alguma dificuldade no inicio, porque todo o processo é novo.

A partir do momento que a pessoa começa a entender o funcionamento de cada elemento no automóvel, as chances são de que ela passará para o segundo estágio de aprendizado.

Está gostando do artigo? Então cadastre seu email abaixo para se juntar a vários leitores inteligentes e determinados do FocusLife para ser um dos primeiros a receber novos conteúdos.

FIQUE ATUALIZADO

Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do site!>

2ª fase do aprendizado: incompetência consciente

A incompetência consciente acontece quando o candidato a motorista, passa a ter consciência de sua falta de habilidade para conduzir um automóvel.

Esta é uma fase muito importante, porque a partir daqui a pessoa sabe que precisa praticar para que ela possa dominar a sua nova habilidade. Nesta fase também é onde acontecem as cantadas de pneus e as freadas bruscas! (E quem nunca passou por isso?)

É fundamental que a pessoa saiba como resolver problemas rapidamente, para que possa progredir e não ficar paralisada. Logo, depois de muita prática, nosso candidato passa ter um controle maior em relação ao processo, começando a fazer algum progresso em direção à próxima fase.

3ª fase do aprendizado: competência consciente

Na fase da competência consciente, a pessoa passa a fazer todas as operações de maneira correta: já sabe como engatar as marchas, dirigir com atenção e faz tudo de maneira detalhada e correta, e sem perder o foco.

Nesta fase, percebe-se que dirigir se torna um processo prazeroso, porque aqui a pessoa nota que realizou um progresso em relação as fases anteriores. Aqui nessa fase ela se torna consciente da sua nova habilidade com muito mais autoconfiança.

Depois de muita prática e repetição, o ato de dirigir se torna quase que automático, pois realiza-se todo o processo sem ficar pensando nele.  Com isso, a pessoa passa para o próximo nível que é a quarta fase.

4ª fase do aprendizado: competência inconsciente

Dirigir na fase da competência inconsciente significa fazer tudo de uma vez sem perceber como se faz, porque já foram muitas práticas e repetições.  A pessoa passa a operar no piloto automático, pois ela se torna capaz de fazer várias coisas de uma vez só.

Nesta fase somos capazes de passar as marchas enquanto viramos o volante, freiamos no momento preciso e ainda conversamos com o passageiro enquanto dirigimos.

O processo agora faz parte do nosso inconsciente, e tudo acontece sem esforço. É fato que, infelizmente, muitas pessoas desenvolvem hábitos negativos na direção, causando assim acidentes no trânsito. Mas com foco e consciência, podemos conduzir nossos veículos sem causar nenhum problema.

Conclusão

Você deve ter percebido até agora que é possível aplicar esse processo em qualquer área da vida que desejamos aprender. Para que isto aconteça, basta tomar consciência de que fase você está e seguir em frente sem desistir.

Muitas pessoas começam algo e desistem logo em seguida, por acreditarem que nunca poderão aprender. E isso não passa de um sistema de crenças limitantes!

Da próxima vez que ouvir alguém dizendo que não pode ou que não consegue aprender isso ou aquilo, contribua com a pessoa esclarecendo que ela está passando por uma fase de aprendizado.

Toda fase é passageira é passageira. Com o tempo e um pouco de força de vontade, a pessoa logo avançará para o próximo nível. Quando menos ela perceber, ela terá dominado todo o processo.

Achou este assunto interessante? Então compartilhe com os seus amigos nas redes sociais para que mais pessoas possam ter acesso.

Espero que este artigo tenha sido útil à você, e espero também que possa lembrar-se de ter consciência desse conceito toda vez que estiver aprendendo algo.

Eu sempre utilizo este modelo de pensamento em minha própria vida quando estou desenvolvendo uma nova habilidade. E posso garantir que ele funciona muito bem para mim, e com certeza funcionará muito bem para você também.

Deixe o seu comentário logo abaixo. Eu gostaria de saber quais são as estratégias de aprendizado que você utiliza.

Até o próximo.

FIQUE ATUALIZADO

Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do site!>

  • João Paulo Furtado Tavares

    Faltou dizer o que fazer para iniciar cada fase ou como se situar nelas…

    • Olá João Paulo.
      Pelo menos a primeira, acontece de maneira automática, partindo do principio que a pessoa não tenha nenhum conhecimento a respeito daquilo que ela está aprendendo.
      Dali em diante o processo segue naturalmente, com tentativas, erros e acertos, até se alcançar a próxima fase.
      Foi assim que aprendemos a caminhar, falar, escrever etc.
      Abraços!

  • João Paulo Furtado Tavares

    Faltou dizer o que fazer para iniciar cada fase ou como se situar nelas…

    • Olá João Paulo.
      Pelo menos a primeira, acontece de maneira automática, partindo do principio que a pessoa não tenha nenhum conhecimento a respeito daquilo que ela está aprendendo.
      Dali em diante o processo segue naturalmente, com tentativas, erros e acertos, até se alcançar a próxima fase.
      Foi assim que aprendemos a caminhar, falar, escrever etc.
      Abraços!

  • Eduardo Siqueira Filho

    Olá! Sabe informar quem é o autor desta teoria? Grato!

  • Eduardo Siqueira Filho

    Olá! Sabe informar quem é o autor desta teoria? Grato!