Como superar a timidez e ganhar mais confiança

A timidez é uma barreira enfrentada por muitas pessoas, que querem avançar na vida pessoal ou profissional, mas que de alguma maneira sentem que lhes faltam energia para entrar em ação.

A ideia de apresentar-se em público para um tímido, é sinônimo de tortura mental. Pernas trêmulas, garganta seca, suor frio e até noites em claro, tudo isso são sintomas manifestados no corpo de quem não consegue encontrar confiança para realizar determinadas atividades.

Esses mesmos sintomas surgem quando uma pessoa tomada pela timidez, deseja abordar outra pessoa do sexo oposto, seja para iniciar uma simples conversa ou convida-la para sair.

A falta de confiança pode sim se transformar em uma enorme barreira, que pode impedi-lo de alcançar resultados desejados. Diante de todos esses problemas que a timidez pode acarretar, deixo a pergunta: você se considera uma pessoa tímida?

Se os seus olhos ainda correm sobre esse texto, isso cria uma possibilidade de você ter se identificado com alguns pontos aqui. Quero que fique tranquilo, pois você não está sozinho neste desafio.

O medo de ser julgado

Grande parte das pessoas que sofrem com a timidez, dificilmente buscam entender o que realmente acontece com elas em alguns momentos. E é justamente por isso que eu gostaria que você ficasse atento a este conceito, que compartilharei com você agora.

Meu intuito aqui é que quando terminar de ler este texto, você já tenha a mentalidade correta para fazê-lo agir em vez de ficar paralisado pela vergonha ou medo. O que mais atrapalha as pessoas tímidas, é a ideia de que os outros estão o tempo todo julgando-as pelas suas palavras, expressões e ações.

O medo de julgamento costuma aumentar a cada inação da pessoa, fazendo com que esse sentimento negativo se transforme em um terrível monstro imaginário. Entender que é você quem constrói sua própria realidade interna, a partir das suas experiências com o mundo externo, é o primeiro passo para a mudança.

Não há dúvidas que o nosso cérebro é uma máquina poderosa, capaz de encontrar respostas para todas as perguntas que fazemos a ele. Nosso grande desafio é fazer as perguntas certas, para que consigamos as respostas e as soluções certas.

Na medida que vamos tendo experiências na vida, nosso cérebro vai construindo memórias a partir dessas experiências. E você sabe qual é a função primária do cérebro? Garantir nossa sobrevivência.

Isso significa que ele fará de tudo para nos manter longe de tudo aquilo que representamos internamente como perigo. A timidez é de certo modo uma representação interna, isto é, um foco mental que você cria, e que o faz ficar sem energia para entrar em ação.

Pense nos momentos em que você queria ter realizado qualquer ação como:

  • Falar em público,
  • Conhecer pessoas,
  • Expor suas ideias,
  • Criar um canal no YouTube,
  • Debater um assunto importante,
  • Apresentar algum produto,
  • Negociar,
  • Convidar alguém para sair.

Bem, se você queria realmente ter realizado qualquer uma dessas ações e não as realizou, o que houve de fato foi que o seu cérebro deu mais importância a dor da ação, do que o prazer que você teria se alcançasse o seu objetivo.

A boa notícia é que você pode mudar essa programação cerebral limitada criada no passado, e criar uma nova programação para que você realize aquilo que deseja de forma prazerosa. Sim, você pode reprogramar sua timidez! Veja algumas ações que você pode realizar, começando hoje mesmo:

Use a timidez como gatilho para entrar em ação

Pense na timidez como um programa de computador: toda vez que você lida com ambiente aparentemente ameaçador, o seu “computador” (cérebro) começa a rodar um programa chamado timidez.

Logo, você experimenta esse estado emocional, toda vez que você vê, ouve ou sente algum tipo de estímulo externo, que funciona como um gatilho emocional. Agora, o que aconteceria se você usasse a timidez a seu favor, fazendo-o se colocar em um estado emocional poderoso?

Neste caso, é preciso uma dose de esforço consciente, para fazer com a timidez faça-o agir em vez de ficar parado. Faça justamente o oposto que o seu cérebro gostaria que você fizesse.

Se está com medo de falar em público, simplesmente fale em público. Se está com medo de convidar aquela pessoa para sair, convide-a. Não tente controlar o resultado, apenas foque na ação presente e aja. Com o tempo e prática, os sentimentos negativos desaparecerão da sua vida, dando lugar para a coragem.

Foque em contribuir na vida dos outros

Você sabia que a depressão tem mais facilidade de se manifestar em pessoas tímidas? Uma das explicações se deve ao fato das pessoas tímidas se importarem excessivamente mais com elas mesmas do que os outros.

Por outro lado, se você passa a se importar em ajudar, contribuir e fazer a diferença positiva na vida dos outros, o seu foco muda completamente. Desse modo você passa a se esquecer das suas próprias preocupações, inseguranças e medos, para ajudar aqueles que talvez estejam numa situação bem pior do que a sua.

É praticamente impossível ser tímido quando você se preocupa em fazer o bem ao próximo; ouvindo-os com a sua total presença. As pessoas vão se interessar em você, na medida que você mostra seu interesse sincero por elas.

Mentalize seus objetivos concretizados

Se você deseja alcançar seus objetivos sem que a timidez o impeça, um excelente modo de começar é mentalizar o resultado que deseja alcançar. A mentalização é uma poderosa ferramenta para enviar sinais nítidos para o seu cérebro, criando assim uma espécie de conquista por antecipação.

Veja, ouça e sinta o objetivo desejado, por várias e várias vezes, todos os dias. Faça da mentalização um hábito. Na medida que você treinar o seu cérebro, a sua confiança ganhará mais força.

Esse processo funciona como um músculo que se desenvolve, cada vez que recebe mais sobrecarga. Se você estudar a vida das pessoas mais bem sucedidas, descobrirá que a maioria delas, faz uso constante da mentalização. Elas se visualizam realizando suas ações e conquistas mais importantes.

Em vez de permitir a que a ansiedade tome conta de você em sua próxima apresentação, crie o cenário ideal em sua mente do que você deseja manifestar, e depois manifeste-o.

Aliás, a ansiedade é também uma forma de mentalização… Só que às avessas. Já pensou nisso? Portanto, tome controle desse processo de forma consciente, focando naquilo que realmente quer, em vez daquilo que não quer.

Eu também já passei por essa barreira

Na minha juventude passei pela difícil situação de querer ser aprovado pelos os outros, antes de me sentir confiante. Eu me sentia inapropriado em certos ambientes e situações. Foi uma fase terrível da minha vida.

Para você ter uma ideia, sempre que eu ficava interessado em alguma garota na escola, quando sequer imaginava a hipótese de se aproximar da garota, a coragem simplesmente não aparecia. O meu medo de ser rejeitado, de receber um não, era muito maior do que a minha vontade de se aproximar da fulana.

Enfrentei esse desafio por vários anos, perdendo grandes chances de conhecer e me relacionar com garotas super legais naquela época. Às vezes até rolava um clima, mas minha crença limitante era tão dominante, que eu acabava por me autossabotar.

Não havia ninguém que eu pudesse confiar e me abrir sobre o que acontecia. Aquela situação me deixava bastante pessimista. A situação fazia com que eu deixasse de me projetar socialmente. O pior acontecia quando eu via os meus amigos se dando bem, e eu simplesmente nada de resultados.

Isso foi gerando em mim um sentimento de incapacidade, que nada tinha a ver com os fatos. Além disso, esse sentimento ruim foi ganhando muita força, a cada nova experiência que eu fracassava.

Felizmente, um dia, eu percebi que precisava mudar aquela situação para que eu pudesse mudar os resultados. Busquei nas artes marciais e no desenvolvimento pessoal, as ferramentas que precisava para, literalmente, expandir minha identidade pessoal.

Foram muitos livros e cursos que foi mostrando o que fazer para controlar minhas emoções e a timidez que eu sentia, quando era preciso enfrentar um território novo. O taekwondo também foi uma prática essencial, para fortalecer meu corpo e minha mente.

Hoje em dia, com o passar dos anos e ganhando experiência de vida, além de todo material didático que tive acesso, a timidez não tem qualquer efeito em mim. Esse sentimento deixou de ser uma barreira em minha vida, a partir do momento que eu o superei e o usei como alavanca para entrar em ação.

Pare de perder oportunidades por causa da timidez

Você já deve ter percebido que para enfrentar a timidez, você precisará sair um pouquinho de sua zona de conforto. Tenho consciência de que cada pessoa é única, e que um enfrenta seus desafios pessoais.

No entanto, tenho também plena consciência de que a timidez pode ser um alto preço a se pagar. A não superação dessa barreira inicialmente pode fazer com que você deixe de conhecer pessoas e até deixe de fazer mais dinheiro. Como isso é possível?

Pense assim: o seu nível de renda mensal, é proporcional a quantidade de valor que você gera na vida dos outros. Se você quiser aumentar sua renda, então você precisa encontrar um meio de gerar mais valor na vida das pessoas.

E para gerar mais valor para as pessoas, você precisa se expor cada vez mais. O mesmo é válido para qualquer área que você deseje crescimento.

Para você ter uma ideia, coincidência ou não, os dois homens que estão ocupando a posição entre os mais ricos do mundo, driblaram a timidez ao longo de suas carreiras: Bill Gates e Warren Buffett.

Se a vida por si só já tem suas dificuldades, para os tímidos essas dificuldades podem pesar ainda mais. Portanto, agora é sua vez de superar a timidez e parar de perder oportunidades.

E se você quiser acelerar ainda mais esse processo, deixo como dica super valiosa, a aula online Superando a Timidez, com o meu amigo especialista em reprogramação cerebral, André Buric.

Se eu na minha juventude tivesse tido alguém como o André para me mostrar o caminho, com certeza eu teria acelerado o meu processo de aprendizado e crescimento, transformando décadas em dias.