O que você quer está do outro lado…

Olá, aqui é o Luiz.

Hoje eu quero conversar com você a respeito de um assunto que pode fazer toda a diferença entre alcançar seus maiores objetivos ou não.

Iniciei este texto dizendo que o que você quer está do outro lado e eu irei explicar o porquê dessa afirmação.

Mas antes, gostaria que você refletisse sobre essa citação:

Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado, com certeza vai mais longe. (Clarice Lispector)

E quem não quer ir mais longe, não é verdade? Chegar rápido neste sentido pode significar resultados de curto prazo.

Seria o mesmo que construir uma casa em cima da areia. Mais cedo ou mais tarde essa casa pode afundar.

Por este motivo, imagino que você assim como eu quer ir muito mais longe.

E pra isso você precisa contar com ajuda dos outros.

Vou compartilhar com você uma história que aconteceu comigo no dia 15 de novembro de 2001, na cidade de São Paulo.

Eu me lembro daquele dia como se fosse ontem.

Lá estava eu participando de um treinamento de desenvolvimento pessoal, juntamente com outras 190 pessoas aproximadamente.

Não era qualquer treinamento, mãos sim o treinamento, de alto impacto.

Houve um momento em que nós teríamos que fazer uma dinâmica em grupo para colocar em pratica o que havíamos aprendido.

E eu não tinha gostado nada da ideia.

Enfim, era um treinamento de desenvolvimento pessoal, certo? Eu tinha que sair da minha zona de conforto e mergulhar de cabeça nele.

Felizmente, tomei a decisão de me empenhar.

O facilitador do evento pediu para que nós juntássemos em grupos de cinco ou seis pessoas.

Neste momento eu ficava me perguntando: “O que será que vai acontecer aqui? Será que eu vou me dar bem nisso?”.

Minha voz interna estava a 1.000 por hora naquele momento.

Logo, fizemos o que o palestrante pediu e lá estávamos com o grupo formado.

Eu estava realmente ansioso naquele momento, com 22 anos de idade e iniciando a minha jornada no autoconhecimento.

A dinâmica começou com o palestrante narrando a seguinte situação:

“O planeta terra seria destruído e algumas pessoas seriam escolhidas para embarcar em uma espaçonave que as levaria para habitar em um outro planeta, e assim a espécie humana continuar.

Cada membro do grupo com cinco (ou seis) pessoas deveria convencer os outros membros a leva-lo.

Neste momento cada pessoa teria que falar sobre si mesma, falar sobre suas habilidades e como a presença dela seria importante na tripulação”.

Imaginou o cenário?

Aqueles que não conseguissem convencer os outros membros de levá-los, adivinha!

Haveria uma votação para escolher quem iria ficar para ser destruído junto com a terra.

Apenas três pessoas de cada grupo iria embarcar na espaçonave, e os dois escolhidos não.

Situação dramática, não?

A proposta era essa.

Ah… o palestrante já tinha deixado avisado: “Eu não quero nenhum mártir aqui falando que quer ficar”.

Honestamente, antes dele dizer isso eu já tinha pensado em ficar 🙂

Aquele que fosse mais persuasivo em sua comunicação, seria salvo.

Imagino que você deva estar curioso pra saber o que aconteceu comigo, não é verdade?

Bem, eu fui o quarto a apresentar-se para o grupo.

Trêmulo. Com um nó na garganta. Mãos suando. Frio na barriga.

Disse o meu nome, minha profissão e mais quatro ou cinco frases, e só!

A pessoas ficaram olhando para mim com uma cara de espanto.

“Cada um faz o melhor que pode com os recursos que tem.”

Aqueles eram meus pobres recursos disponíveis…

Em seguida, chegou o momento em que todos fariam suas escolhas.

Lembra da proposta? Duas pessoas ficariam para serem destruídas junto com o planeta.

O restante, viveria feliz e tranquilamente para sempre em outro planeta.

Então chegou o momento.

E eu acabei sendo escolhido…

…para ficar 🙁

Hoje eu sei que aquela foi uma das melhores experiências que aconteceu comigo.

Depois da dinâmica, quem tinha sido escolhido pra ficar e acompanhar a destruição da terra, recebeu um feedback de cada pessoa do grupo.

Foi incrível o acolhimento de todos. Aquela dinâmica serviu como um “choque” para que eu pudesse melhorar aspectos da minha comunicação e ser mais confiante.

“Aquilo que você quer está do outro lado.” É a sua contribuição para com as pessoas que será a medida do seu sucesso pessoal ou profissional.

Na medida que você contribui de alguma forma na vida das outras, você acaba de fato se aproximando dos seus objetivos.

Eu não sei se você já passou por alguma situação semelhante a que mencionei aqui, ficando travado sem saber o que dizer, por não saber persuadir…

É uma situação bastante embaraçosa e que felizmente pode ser evitada se você souber como influenciar os outros.

Quer saber como persuadir? Quer saber como aumentar seu poder de influenciar e empoderar pessoas?

Se sua reposta é NÃO, tudo bem. Agradeço imensamente por ter lido este texto até aqui.

Agora, se sua reposta é SIM, tenho um presente para você, um eBook, Como usar a Neuro Persuasão para se tornar mais impactante, mais influente e persuasivo.

Você poderá baixá-lo como presente clicando neste link.

Aproveita enquanto ele está disponível, ok?!

Me despeço agradecendo pelo seu tempo até aqui comigo.

Abraços,

Luiz

P.S. Se eu soubesse o que eu aprendi depois daquele evento, a história com certeza seria outra. Mas pensando bem, eu não a teria para compartilhar com você. Tudo acontece por uma razão ou fim, e é isso o que mais importa. Aproveite e baixe o seu eBook aqui.