Porque a repetição é a mãe da habilidade

 

repeticao-mae-habilidade

Certa vez, quando eu estava lendo um livro de desenvolvimento pessoal, me deparei com a frase: “A repetição é mãe da habilidade”. Só depois, quando comecei a relacionar as experiências de aprendizado que tive, pude me dar conta da profundidade desta frase.

Existem momentos que fixamos objetivos que dependem do desenvolvimento de novas habilidades. Por exemplo, quando estávamos aprendendo a ler, nossa velocidade de leitura era lenta.

Tínhamos que ler e compreender as palavras, de maneira lenta, enquanto nosso cérebro criava referências (associações) com as palavras. Hoje, podemos ler facilmente, porque fomos repetindo o hábito da leitura no decorrer dos anos.

Na verdade hoje é possível lermos até três vezes mais rápido do que o tempo normal.

Se você quer alcançar os seus resultados, você deve ter em mente que precisa desenvolver novas habilidade, até que esteja apto para executá-las de maneira inconsciente.

Assista ao vídeo abaixo:

Certifique-se de que estará disposto a tentar até desenvolver sua nova habilidade

Quando eu estava aprendendo taekwondo, há muitos anos, tive uma enorme dificuldade em aprender como realizar os movimentos dessa arte. Minha dificuldade era tanta, que pensei em desistir.

O motivo que eu queria desistir era o fato de não aceitar conscientemente que precisaria passar por todo o processo de aprendizagem. Afinal, eu queria resultados rápidos. Sim, é possível acelerarmos os nossos resultados, no entanto, precisamos de um método eficaz.

Devido a minha falta de habilidade e competência naquele momento, teria que me conformar que eu era realmente iniciante, e que precisaria passar por diversas etapas.

Muitas pessoas começam a realizar algo em suas vidas e desistem no meio do caminho. Quando desistimos de algum objetivo, eliminamos de vez as possibilidades de alcança-lo.

Muitas vezes, o fato de desistirmos de algum dos nossos objetivos, obviamente, está ligado as nossas crenças sobre o que somos capazes de realizar (ou não).

O que somos capazes de realizar depende do grau de empenho e prática de uma determinada habilidade. Sem falar que podemos acelerar todo o processo.

Com certeza, a maioria das pessoas conseguem amarrar os sapatos muito facilmente.

No entanto, se você parar pra pensar, as crianças têm uma grande dificuldade para fazer um simples laço. Por que isso acontece? A criança ainda não desenvolveu habilidade suficiente para amarrar seus próprios sapatos sem ajuda de ninguém.

Porém, todos os adultos dominam esta habilidade e a realiza de forma automática, devido a milhares de vezes que tivemos experiências de amarrar os sapatos.

Eu não temo o homem que pratica 10.000 chutes uma vez, mas eu temo o homem que pratica um chute 10.000 vezes. – Bruce Lee

Uma vez que você tenha mostrado disposição para alcançar os seus resultados, é hora de focar no resultado final: os benefícios do domínio da nova habilidade que serão obtidos.

Foque no Resultado que obterá quando tiver dominado sua nova habilidade

Quando eu estava aprendendo inglês, gostava de imaginar como seria a minha vida, depois que eu aprendesse o idioma. Eu ficava imaginando como seria conversar com estrangeiros, ler e assistir vídeos em inglês. Eu sabia exatamente qual resultado teria, se me esforçasse em aprender e dominar o inglês. De certo modo, eu estava trabalhando o meu “mindset”.

O curioso é que muitos colegas de curso foram desistindo na medida que avançávamos para outros níveis.

Eu tinha decido que iria até o final, apesar de ter pensado em desistir várias vezes. No entanto, o que prevaleceu foi meu empenho em seguir em frente, mesmo tendo grandes desafios.

Estudei inglês por seis anos árduos. O resultado? Pude aprender diversos tipos de conteúdos relacionados ao desenvolvimento pessoal, marketing e empreendedorismo digital. A ideia de compartilhar informações em vídeos e artigos aqui no blog, surgiu do acesso que eu tive a grandes nomes norte-americanos, através dos livros, como Tony Robbins e Brendon Burchard.

Tudo isso aconteceu graças ao meu aprendizado do inglês.

Outro grande exemplo que podemos ilustrar no pressuposto “a repetição é mãe da habilidade” é o ato de dirigir. Eu alucino que você teve uma grande dificuldade, quando estava aprendendo a dirigir (ou não).

Talvez a sua dificuldade era a de manter o seu olhar para frente, enquanto trocava as marchas. Ou mesmo quando você tinha de sair com o carro, que pulava quando tirava o pé da embreagem de uma vez!

As chances são que você teve essas experiências enquanto aprendia dirigir. O interessante é que hoje, você consegue tirar de letra todo esse processo. Você dirigi de maneira inconsciente, e consegue realizar diversas atividade ao mesmo tempo como ouvir músicas, conversar, pensar etc.

Mas o que levou você a este nível de domínio no ato de dirigir, foi a repetição. Você repetiu por milhares de vezes o ato de dirigir, que agora consegue realizar esta atividade sem nenhuma dificuldade.

A boa notícia é que você consegue usar as mesmas estratégias que usou para aprender certas habilidades, para aprender ainda mais.

Use a mesma mentalidade nas habilidades que já domina

Da próxima vez que pensar em desistir de algo, pense de forma diferente. Pergunte a si mesmo(a): “será que realizei esta ação o suficiente para dominá-la?”. Logo, procure se lembrar de alguma área da sua vida em que você tenha domínio.

Pense nos motivos que o levaram a dominar esta área. Talvez hoje em dia, você realiza as atividades que antes acreditava que eram impossíveis de realizar.

Imagine se ao invés de desistir de algo, você colocasse duas, três, quatro vezes mais empenho em sua nova habilidade? Imagine quais seriam os seus resultados?

Portanto, sugiro a você que aplique o princípio da repetição em sua vida o mais rápido possível. Funcionou para mim e ainda continua funcionando.

Tenho certeza que funcionará em sua vida também!

Outro dia, estava assistindo um vídeo em que o apresentador disse algo que me chamou atenção: para dominarmos qualquer nova habilidade, precisamos de 10.000 horas de prática!

Isto não é incrível? Esta informação realmente nos faz sair da nossa zona de conforto.

Não há como desistirmos de algo, sem antes praticarmos 10.000 horas. Este é um bom motivo para elevarmos os nossos padrões e colocarmos nossa energia e foco naquilo que desejamos alcançar.

Não importa o tipo de resultado que deseja, se você praticar o suficiente, consequentemente alcançará os seus resultados. Meu profundo desejo é que você coloque em prática essas informações, e atinja o plano de vida que você deseja e merece!

E para finalizar, convido você a expor o seu ponto de vista. Deixe o seu comentário na área logo abaixo.

CONTEÚDO VIP

Insira aqui o seu email para receber gratuitamente artigos, vídeos e mensagens para o seu desenvolvimento pessoal e profissional em primeira mão!>

  • Mauro Oliveira

    Parabens pelas suas explanações meu amigo, valiosissimas, as quais muita gente não se da conta e quando se interessam , as vezes pode ser tarde. continue com esse belissimo trabalho

  • Yago

    Olá, me identifiquei com o seu post, faz total sentido. Sou praticante de Kung Fu, mas houve uma época em que parei, mas agora estou na ativa!
    Demorei para perceber os resultados extraordinários em que conseguimos através da repetição e hoje sei que sou capaz de qualquer coisa, basta treinar (repetições intermináveis), não digo apenas só no Kung Fu e sim em qualquer coisa que deseja aprender.

    Muito bom o seu post, parabéns! Irei recomendar a leitura para alguns amigos que passaram pela mesma situação.

    • Olá Yago! Obrigado pelo comentário! Realmente é através da repetição que aprendemos qualquer nova habilidade, ou ainda, melhoramos ainda mais aquilo que já sabemos!

      Grande abraço!

  • Pablo Vieira

    Muito bom Luiz!! cai aqui no seu site quando procurei “Repetição é a mãe do aprendizado” num vídeo que assisti do Conrado Adolpho. e li seu artigo, excelente! Parabéns!

  • Pablo Vieira

    Muito bom Luiz!! cai aqui no seu site quando procurei “Repetição é a mãe do aprendizado” num vídeo que assisti do Conrado Adolpho. e li seu artigo, excelente! Parabéns!